segunda-feira, 13 de junho de 2011

Ponte Seca - 1951

Hoje, não vamos muito longe do centro de Vidago e até vamos a pé porque só são 2 Kms. Este lugar tem por nome de "Ponte Seca" ou "Entroncamento" mas o nome mais usado é o de "Ponte Seca", um nome que, desde miúdo, acho engraçado! A partir deste lugar, seguindo em frente, podemos ir para Chaves e seguindo pela esquerda podemos ir para Montalegre passando por Boticas.
Neste lugar não nos podemos esquecer de uma figura interessante, o Sr. Aleixo Ferreira Covas, mas conhecido por Ti Aleixo. Este senhor começou por ter um tasco onde servia uns petiscos e também artigos de mercearia. Depois mudou de ramo, passando a vender materiais agrícolas e materiais para a construção civil, nomeadamente telha.
Outro casal que morou durante muitos anos na "Ponte Seca" foi Henrique Ferreira e Ana Adão, mais conhecida por Ana Rôla.


(Imagem do livro "Recordação de Vidago" por Artur Patrício - 1951)

Finalmente, consegui há dias adquirir o livro "Recordação de Vidago" por Artur Patrício, editor Alfarrabista Bocage - Lisboa.

Hoje, vou me despedir com uma frase do Artur Patrício - Vidago, significa Vida, Saúde.

2 comentários:

jorgegomes98 disse...

Realmente tb sinto saudades da Ponte Seca. Para começar a casa que estava mesmo junto à ponte tinha uma oficina de serralharia e mecânica onde trabalhavam dois tios meus...passei por lá algum tempo. Esses tios ainda moram em vidago.
Mais abaixo, em direcção ao Gralhos, morava a minha avó, a avó Margarida, numa casinha velha (ainda lá está); mais abaixo, tinha um moinho, junto à levado do rio...muito tempo brinquei ali...velhos tempos que passei nos Gralhos! Obrigado pela recordação!

Paulo Coimbra disse...

É sempre com enorme prazer que visito o seu blogue. Ao ver esta imagem, pensei que seria deveras interessante saber quem é a família visada (e/ou seus descendentes). A matrícula da viatura, também pode servir de pista.
Aqui fica o repto!
Cpts, Paulo Coimbra, http://enifpegasus.blogspot.com/