quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Vidago Palace Hotel - 1935

Como há muito tempo que não publico uma imagem do nosso ex-libris, o Vidago Palace Hotel, e para encerrar o verão de 2016, deixo-vos aqui uma fotografia de Setembro de 1935.

(fotografia original)

Um pequeno provérbio "Logo que o Outono venha, procura a lenha".

Um abraço e até breve...

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Cimo da Rua da Ermida - 1950

Num dia em que muito se fala sobre a rua da Ermida, fica aqui o registo fotográfico, de 1950, feito no cimo dessa rua. As casas são aquelas que ficam situadas a norte da vila.


(fotografia original - película "Gaveart")

Um abraço e até breve...

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Hóspedes - hotel Avenida


Grupo de hóspedes do antigo hotel Avenida durante o torneio de jogo do "Golfinho" promovido por esse hotel, em 15/09/1960. 


Um abraço e até breve...

sábado, 10 de setembro de 2016

Paliteiro - VM&PS



(Paliteiro da antiga fábrica Sacavém - Portugal)

Paliteiro de porcelana moldada em forma de prisma triangular, ostentando publicidade, aplicada sobre o vidrado, à empresa Vidago, Melgaço & Pedras Salgadas.

Esta peça foi-me oferecida pelo meu amigo António Rodrigues, a quem, mais uma vez, agradeço esta prendinha!

Um abraço e até breve...

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Série "Vidago Palace" - Arranque das filmagens

Na próxima 3ª feira, dia 13 de Setembro, arrancam as inscrições para figurantes da série "Vidago Palace", do meu amigo realizador  Henrique Oliveira. A série de 6 episódios será transmitida na RTP, em 2017.
A organização e selecção do casting cabe à empresa Valente Produções, Lda..

Participe!


(anúncio da responsabilidade da empresa Valente Produções, Lda.)



Vidago na escolha de grandes realizadores portugueses!

segunda-feira, 5 de setembro de 2016


FÉRIAS DUM JORNALISTA

Hoje estou a pensar num livro escrito em 1943, pelo jornalista João Paulo Freire (Mário). O meu amigo, Dr. Júlio Silva, colecionador apaixonado por tudo quanto alude a Vidago e à região que circunda esta vila termal e, também, responsável pelo blog "MEU VIDAGO", fez chegar às minhas mãos esta verdadeira relíquia. O autor do livro compilou, de forma isenta e cativante umas quantas histórias verídicas relativas a esta região, num tempo bem longínquo (eu nasceria apenas cinco anos depois desta obra ser publicada). FÉRIAS DUM JORNALISTA é um excelente trabalho de pesquisa das diversas facetas que caracterizavam Vidago e seus arredores na década de quarenta do século passado.
O seu trabalho recorda os campeonatos internacionais que, já nesse tempo, se disputavam no Campo de Golfe de Vidago e faz referência à higiene, salubridade e exercício físico, ao ar livre, que a modalidade permite.
Evoca Artur Patrício, fotógrafo e alfarrabista que deu a Vidago muito do seu trabalho e amor. Recorda o génio desta arrebatadora figura que encenava peças teatrais às quais emprestava a sua única figura física como intérprete.
Fala-nos da Praia Fluvial de Vidago e enaltece a sua privilegiada localização. Evidencia-a como um encanto de bom gosto, uma nesga de civilização e um oásis entre paisagens agressivas. Recorda a sua represa, os barquitos de recreio, o salão de chá e uma esplanada encantadora.
O autor sentia um particular carinho por toda a zona de Salus. O Hotel do Golfe era o seu preferido, assim como a respectiva Fonte. Dizia mesmo que quando se desse a atenção a este espaço que se deu a Pedras e Vidago, Salus emergiria pujante.
O livro fala-nos da aldeia de Oura, das suas ruas tortuosas, de casas do século XVIII e de uma sua capela do Cruzeiro. Relata-nos passagens da sua visita à aldeia de Vila Verde e da forma descuidada em que (segundo ele) se encontrava o cemitério local, naquele tempo. Descreve algumas casas apalaçadas e recorda uma com brasão. Evoca a figura do lavrador, Vidal, e da sua produção agrícola, não esquecendo o delicioso melão e o suculento presunto que se comia em sua casa. De Vidago fala-nos do Hotel do Golfe e do seu amigo, Manuel Dias, então director daquela unidade hoteleira. Recorda o lago existente do hotel mas, com muita pena sua, sem peixes que lhe dessem mais vida. Também de Costa Pinto, advogado de Vila Pouca de Aguiar e da conhecida figura do parlamentar, Nicolau Mesquita, nas Pedras Salgadas. Recorda as caminhadas que ambos faziam subindo a serra que dá para a Freixeda e lembra os montanheses que por ali viviam e trabalhavam em situações adversas. Recorda a penosa, mas paisagisticamente bela, viagem de comboio a partir da Régua, para Pedras Salgadas, Vidago e Chaves e descreve os apeadeiros de Oura, Salus e Campilho com algum pormenor, não esquecendo os frequentes incumprimentos dos horários dos comboios da Linha do Corgo, naquela altura. Faz indispensáveis comparações entre as termas de Pedras Salgadas e de Vidago, de então. Comenta o funcionamento do Casino das Pedras Salgadas.
Por último descreve-nos a importância das águas termais de Vidago e Pedras Salgadas no domínio da saúde pública. Revela as especificidades de cada fonte neste domínio, no que concerne às necessidades da infinidade de enfermidades. 
Enfim, ler FÉRIAS DUM JORNALISTA é uma espécie de romagem de saudade a uma estância termal cosmopolita da primeira metade do Século XX. É percorrermos recantos aprazíveis que o desenvolvimento sacrificou. Ao lermos o que este homem escreveu sobre Vidago e arredores sentimos uma certa nostalgia. Porém, conforta-nos o facto de sabermos que não é indispensável ser-se biologicamente vidaguense para que se sinta uma inexplicável paixão por esta terra e sua vizinhança. João Paulo Freire (Mário) foi prova disso mesmo.
Se o leitor desta crónica sente por Vidago o amor que aquele jornalista dizia sentir, procure num qualquer alfarrabista esta obra arrebatadora que narra histórias pitorescas sobre a Estância Termal de Vidago. Não se arrependerá, julgo.




Floripo Salvador
Setembro 2016

domingo, 7 de agosto de 2016

ER(a)MO(s) - Exposição de Gonçalo Chaves Almeida em Vidago


Com o apoio da VidagusTermas e da União das Freguesias de Vidago, Arcossó, Selhariz e Vilarinho das Paranheiras, inaugura no dia 20 de Agosto, pelas 17h00 a Exposição de Fotografia ER(a)MO(s) de Gonçalo Chaves Almeida, na sala de exposições do Balneário Pedagógico de Vidago.

A exposição ER(a)MO(s) retrata dois hotéis abandonados e esquecidos na vila de Vidago, actualmente em ruínas e que, outrora, foram lugares de charme e cheios de vida social, na época em que as termas eram lugares da moda, frequentados por elites.

A Exposição estará patente de 20 de Agosto a 24 de Setembro de 2016

Balneário Pedagógico de Vidago
Rua João de Oliveira 
5425-352 Vigado 
segunda a sábado, 09h00 - 12h30 e 16h00 - 19h00

segunda-feira, 1 de agosto de 2016



EMIGRANTES

Eles aí estão, de novo, a matar saudades dos familiares, dos amigos e da Pátria. Descortina-se nos seus olhos um ar radiante. É Verão. O tempo quente ajuda à diversão e à frequência das belas praias de areia fina. As romarias das aldeias mais recônditas não podem passar sem a presença e colaboração deles. Toda a economia dos locais que frequentam floresce neste mês de Agosto - o mês dos emigrantes por excelência.

Devemos recebê-los com simpatia e carinho. Eles trabalham, arduamente, um ano inteiro em locais longínquos do seu País, aguardando que chegue esta altura. Por cá, distribuem beijos e abraços, convivem com familiares e amigos e conferem a esta estação quente o brilho característico de quem nunca esquece a sua terra.

Um sentimento de gratidão e muito respeito é o que lhes devemos.

Boas férias a todos eles são os votos que os que por cá residem têm obrigação de formular.

Floripo Salvador
1 Agosto 2016



(Autoestrada A24 - foto de Júlio Silva)


domingo, 17 de julho de 2016

quarta-feira, 13 de julho de 2016

ER(a)MO(s) - Exposição de Gonçalo Chaves Almeida

Amanhã, dia 14 de Julho, na Torre da Oliva inaugura a exposição ER(a)MO(s) de Gonçalo Chaves Almeida, no âmbito da Prova de Aptidão Profissional do curso Técnico de Audiovisuais, do Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite, de São João da Madeira. 

A exposição ER(a)MO(s) retrata dois hotéis abandonados e esquecidos na vila de Vidago, o Hotel Avenida e o Hotel Parque, actualmente em ruínas e que, outrora, foram lugares de charme e cheios de vida social, na época em que as termas eram lugares da moda, frequentados por elites.

Gonçalo Chaves Almeida tem 17 anos e é filho da vidaguense Susana Chaves.



A exposição estará patente de 14 a 20 de Julho 2016

Torre da Oliva, Sala do Laboratório, piso 1 
Rua António José de Oliveira Júnior 591, 3700-204 São João da Madeira
segunda a sexta, 09:00 - 12:30 e 14:00 - 17:30


Foi com muito agrado que cedi as imagens antigas destes dois hotéis para a elaboração deste excelente trabalho. 

Sinto que o Gonçalo voltará a Vidago inspirar-se porque motivos não lhe vão faltar.

Um abraço e até breve...