quinta-feira, 30 de junho de 2011

Golfe em Vidago (1)

Hoje, e como sei que Vidago tem muitos amantes deste desporto, publico esta fotografia tirada no campo de golfe do Vidago Palace Hotel, nos anos 50 do século passado, pelo fotógrafo "de serviço", Sr. Artur Patrício.

Para quem não sabe, o golfe é um desporto de origem escocesa e é inspirado num jogo romano chamado Paganica.


(Fotografia tirada do livro "Recordação de Vidago" de Artur Patrício - Lisboa 1951)
Nesta altura e neste campo, os jogadores só tinham que completar 9 buracos, hoje já são 18 percursos mas têm a ajuda dos carrinhos de golfe...
Um abraço e até breve... 

domingo, 26 de junho de 2011

1º Raid Fotográfico "Sentir Vidago" - E os vencedores são...

Depois do Juri ter escolhido os 3 vencedores do 1º Raid Fotográfico realizado na freguesia de Vidago, vejamos agora as fotografias:

1º Premio para o concorrente Ricardo Manuel Alves Cruz que irá passar um fim de semana no centenário hotel Vidago Palace.



2º Prémio foi para a concorrente Tânia Raquel Pires de Oliveira que ganhou 1 GREENFEE (CAMPO GOLFE) no Vidago Palace.


E o 3º prémio foi para o concorrente Fernando Dores Couto Ribeiro que ganhou 1 tratamento no SPA termal do hotel Vidago Palace.


O meu muito obrigado ao júri pela escolha destas 3 belas fotografias, parabéns aos 3 premiados e para todos os outros concorrentes muito obrigado pela vossa participação porque esta iniciativa foi, sem dúvida, muito especial para este blog, assim como para esta linda vila termal Vidago.

Neste pequeno filme poderão ver todas as fotografias que foram a concurso.

video


Agora que está finalizado este 1º Raid fotográfico, vamos esperar pelo outono para voltarmos a fotografar Vidago.

Mais uma vez obrigado, um abraço e até breve...

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Primeira Comunhão

Primeira comunhão é uma celebração, cerimónia religiosa de algumas denominações cristãs, nomeadamente da Igreja Católica Apostólica Romana, em que os cristãos participantes desta cerimónia recebem pela primeira vez o "Corpo e Sangue de Cristo sob a forma de pão e vinho", respectivamente (hóstia). Esta celebração também se chama de "Primeira Eucaristia" visto que os participantes recebem pela primeira vez o sacramento de Eucaristia. Após esta cerimónia, eles passam a poderem receber a Eucaristia, uma das celebrações centrais da Igreja Cristã.
Normalmente, antes de os cristãos receberem a Primeira Comunhão, eles têm que saber e compreender alguns princípios e conhecimentos fundamentais da Igreja, nomeadamente os 10 mandamentos, também os mandamentos da Madre Igreja, as principais orações, os 7 sacramentos, etc. Para se realizar este rito religioso é necessário que o catequizando faça a confissão dos pecados particularmente com o sacerdote, o que irá se repetir sempre que, o já catequizado, peque gravemente, para assim tornar a receber a Sagrada Eucaristia.

Em vidago, todos os anos, por esta altura, celebra-se este acontecimento e para recordarmos um desses anos, fica aqui um fotografia de grupo tirada em frente à igreja.


Esta fotografia foi gentilmente cedida pelo meu amigo António Lobo da Silva.

Um abraço e até breve...

sábado, 18 de junho de 2011


Os serviços públicos de autocarros – as carreiras

Em meados do século anterior duas empresas de transportes colectivos serviram com regularidade as pessoas desta região. Falo-vos da Auto Viação do Tâmega e também Viação Auto-Motora de Braga.

No Largo Miguel de Carvalho, junto à loja do Jaime, tinham uma das suas paragens. Passageiros e encomendas entravam e saíam dos autocarros, numa azáfama diária, aproveitando ao máximo os breves minutos de escala na localidade.

A Auto Viação do Tâmega tinha sede na cidade de Chaves e foi durante muitos anos propriedade dos empresários Teodoro e Virgílio, naturais de Chaves e de Vila Pouca de Aguiar, respectivamente. A população de Vidago era, em meados do século passado, servida pelos transportes desta empresa, essencialmente no trajecto entre Chaves e Régua. Autocarros, mais ou menos modernos para a época, tinham as cores vermelho e amarelo torrado. Com preços um pouco mais elevados que os praticados pelo caminho de ferro, a empresa conseguia, ainda assim, um serviço de transporte bastante mais rápido e confortável. Admite-se que estes factores possam ter implicado a perda de competitividade do caminho de ferro no transporte de passageiros, tendo mesmo abreviado o desaparecimento do comboio, nesta região. Logo que o caminho de ferro deixou de servir esta zona, a empresa iniciou as ligações diárias directas ou quase directas, entre Chaves e o Porto.

A Viação Auto-Motora de Braga, propriedade de António de Magalhães e sediada em Braga, explorava uma carreira que ligava Chaves, a Boticas e Campos. Esta linha pretendia, essencialmente, servir um trajecto que ficava à margem dos serviços prestados pelo comboio. Assim, o seu itinerário compreendia a ligação de Chaves a Campos, no concelho de Boticas, nos dois sentidos. O Peto de Lagarelhos, Seixo, Loivos, Vila Verde, Vidago, Pinho e Boticas eram algumas das localidades intermédias diariamente servidas pela Viação Auto-Motora. Recordo-me bem dos velhos e quase obsoletos autocarros cinzentos que serpenteavam as curvas apertadas e sinuosas do Ranha , a caminho de Boticas, numa viagem de grande desconforto e de tempo infindável. Após a nacionalização da empresa e a sua integração na Rodoviária Nacional, os serviços prestados por estes autocarros deixaram de acontecer por estas bandas.

Nos tempos que correm, tudo é bem diferente! Uma boa parte das pessoas utiliza o seu próprio meio de transporte. Os que necessitam de recorrer aos transportes colectivos fazem-no com grande comodidade e rapidez. Uma vasta rede de luxuosos autocarros une diariamente a região às principais cidades do país, tornando consideravelmente mais curta a distância relativa que separa Vidago do seu exterior.

in Memórias de Vidago - 2004
Floripo Salvador

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Hotel Salus

Hoje, volto com um bilhete postal da minha colecção. Há poucas semanas comprei mais uma raridade que se conservou durante várias décadas, quem sabe esquecido dentro de uma gaveta de uma secretária, a espera de vir parar às minhas mãos em troca de "alguns" euros.

Hotel Salus ou também Hotel do Golf.


(bilhete postal edição Francisco Costa - Vidago - não circulado)

E agora um pequeno anúncio num jornal



Um abraço e até breve...

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Ponte Seca - 1951

Hoje, não vamos muito longe do centro de Vidago e até vamos a pé porque só são 2 Kms. Este lugar tem por nome de "Ponte Seca" ou "Entroncamento" mas o nome mais usado é o de "Ponte Seca", um nome que, desde miúdo, acho engraçado! A partir deste lugar, seguindo em frente, podemos ir para Chaves e seguindo pela esquerda podemos ir para Montalegre passando por Boticas.
Neste lugar não nos podemos esquecer de uma figura interessante, o Sr. Aleixo Ferreira Covas, mas conhecido por Ti Aleixo. Este senhor começou por ter um tasco onde servia uns petiscos e também artigos de mercearia. Depois mudou de ramo, passando a vender materiais agrícolas e materiais para a construção civil, nomeadamente telha.
Outro casal que morou durante muitos anos na "Ponte Seca" foi Henrique Ferreira e Ana Adão, mais conhecida por Ana Rôla.


(Imagem do livro "Recordação de Vidago" por Artur Patrício - 1951)

Finalmente, consegui há dias adquirir o livro "Recordação de Vidago" por Artur Patrício, editor Alfarrabista Bocage - Lisboa.

Hoje, vou me despedir com uma frase do Artur Patrício - Vidago, significa Vida, Saúde.

domingo, 5 de junho de 2011

1º Raid Fotográfico "Sentir Vidago"

Este blog quer agradecer a presença de todos os participantes neste 1º Raid fotográfico, realizado nesta freguesia de Vidago, e também agradecer a todas as entidades/pessoas os apoios concedidos para esta grande iniciativa.

A 1ª fase deste concurso está finalizada, agora caberá ao nosso júri a escolha das 3 melhores fotografias, para assim podermos distribuir os 3 prémios:
  • 1º Prémio-1 FIM DE SEMANA (2 PESSOAS) REGIME APA NO HOTEL VIDAGO PALACE*****
  • 2º Prémio-1 GREENFEE (CAMPO GOLFE) DO HOTEL VIDAGO PALACE*****
  • 3º Prémio-1 TRATAMENTO NO SPA TERMAL DO HOTEL VIDAGO PALACE*****

Os prémios serão entregues em 25 de Junho na Galeria “Maria Priscila”, pelas 21 horas e a entrada será gratuita.

Fiquei muito contente, ao fim do dia, quando os participantes demonstraram vontade de voltarem a Vidago para fotografar, mas com outras cores...
Aos inscritos que não compareceram, não sabem o que perderam!

(Secretariado do 1º Raid Fotográfico "Sentir Vidago" - Foto cedida pela Tânia Oliveira)
Um abraço e até breve...

sexta-feira, 3 de junho de 2011


Santos Vidago

Natural de Vidago, João Rodrigues dos Santos Vidago foi também um benemérito de relevo no meio da comunidade local. Foi casado com Aurora Celeste e o casal não concebeu filhos. Foi irmão do Tenente Coronel, António Rodrigues Santos Vidago, que viria a ser sogro de Mário Teixeira Rodrigues, carismático vidaguense e que, em vida, foi figura indissociável do Clube de Golfe de Vidago. Oriundo de família humilde e muito novo ainda, Santos Vidago embarcou para África, mais precisamente para Moçambique. Naquela antiga colónia portuguesa, desenvolveu diversas actividades empresariais, que lhe conferiram significativa riqueza. O facto de haver emergido do seio de uma modesta família não terá sido estranho à sua sensibilidade perante gente simples e carenciada. O seu nome ficaria para sempre ligado de forma indelével a algumas instituições locais que beneficiaram do seu altruísmo. Assim, releve-se que foi por si instituído um prémio, que é função do rendimento de um fundo, e que premeia, localmente, dois dos alunos mais em destaque em cada ano lectivo, ponderadas que sejam as carências sociais dos indivíduos a contemplar. Também naquele tempo fez questão de, na qualidade de sócio benfeitor, dotar a Casa do Povo de uma quantia anual, com vista a mais facilmente aquela instituição poder fazer face às despesas com a então designada Sopa dos Pobre.

Mas a sua filantropia estendeu-se também ao desporto local. O Vidago Futebol Clube beneficiou, no seu tempo, de um prestimoso donativo que terá permitido importantes obras de melhoramento, consideradas indispensáveis e, sem as quais, o clube veria, naquela altura, comprometido o seu salutar desenvolvimento. Nesse tempo, Mário Teixeira Rodrigues era Presidente do clube de futebol local e terá junto de João Santos Vidago envidado esforços no sentido da obtenção da referida ajuda. Também a rua que viria a merecer o seu nome recebeu de Santos Vidago importante auxílio financeiro para significativos melhoramentos.

Aquela benemérita figura, desapareceria para sempre a 22 de Fevereiro, decorria ano de 1953, tendo sido sepultada no Cemitério do Prazeres, em Lisboa. Como curiosidade, refira-se que o seu irmão – Tenente Coronel, António Rodrigues Santos Vidago – falecido nos anos sessenta do século passado, está igualmente sepultado na capital portuguesa, mais precisamente no talhão dos combatentes da Grande Guerra, no Cemitério do Alto de S. João.

in Memórias de Vidago - 2004
Floripo Salvador