sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Vidago e o Caminho-de-Ferro

Hoje decidi deixar-vos alguns postais e informações sobre o saudoso "Texas" e a antiga estação de Vidago.

A Linha do Corgo foi o primeiro traçado de via estreita construído e explorado pelo Estado Português.

Esta linha foi aberta faseadamente:

Régua - Vila Real: 12 de Maio de 1906
Vila Real - Pedras Salgadas: 15 de Julho de 1907
Pedras Salgadas - Vidago: 20 de Março de 1910
Vidago - Tâmega: 20 de Junho de 1919
Tâmega - Chaves: 28 de Agosto de 1921

Este postal ilustra-nos a estação de Vidago, um edifício de dois andares, o que demonstra a importância que tinham as termas de Vidago para os Caminhos-de-Ferro.

Aqui podemos ver o "Texas", versão Locomotiva E 203 (1911), a passar sobre o rio Oura! Mas, em 19 de Janeiro de 1978, a linha do Corgo passa a ser feita por locomotivas a diesel, deixando para trás estas "velhinhas" máquinas a vapor.

Mais um postal com uma locomotiva a vapor a passar por Vidago!
"Com um silvo estridente, a locomotiva saúde a torre do relógio da Vila de Vidago" frase escrita no postal, que giro...


A estação foi construída mesmo em frente ao Vidago Palace Hotel ficando ligada por uma lindíssima avenida.
(Postal escrito em 23/09/1912)

Lá vai o "Texas", a vapor, ao fim da tarde (17h24 chegada à estação Vidago) para mais uma viagem até Vila Real (20h27 hora de chegada). Em 1978, com as automotoras a diesel, os horários são diferentes, em vez das 17h24, passa para 16h58 e a chegada a Vila Real passa a ser 18h50.

Este troço (Chaves-Vila Real) foi encerrado pelo Estado em 1 de Janeiro de 1990. Hoje só podemos viajar entre a Régua e Vila Real, a bordo das automotoras LRV 2000, demorando menos de uma hora.
Para aqueles que queiram matar saudades, recomendo o Espaço Museológico de Chaves, que fica situado no antigo espaço ferroviário.

domingo, 14 de dezembro de 2008

Outras unidades hoteleiras

Hotel Avenida

Este Hotel Avenida abriu as suas portas no ano de 1911 e neste postal podemos ver o hotel ainda em construção. Ao lado vemos a antiga estação dos Caminhos-de-Ferro, e que desde 20 de Julho de 2000 passou a ser a biblioteca pública e museu de Vidago.

(Bilhete postal da edição de Germano A. Costa - Vidago, adquirido ao Toni de Braga em 2007)

Decorria o mês de Julho, do ano de 1928, quando este postal foi enviado de Vidago para Lisboa. O custo do selo foi de 25 centavos.
(Bilhete postal da edição da casa de fazendas e mercearia de António Fraga-Vidago)
Pensão Cardoso

Veja a antiga pensão Cardoso que encanto! Parece que estamos perante uma casa suíça. Imagina-se, numa tarde de verão, sentado numa cadeira à sombra desta ramada...

(Bilhete postal feito em Chaves, na Foto Alves)
Pensão Fraga

A pensão Fraga ficava situada no início deste edifício, no 1º e 2º andar. Em frente ao Grande Hotel (Largo Miguel de Carvalho), e durante muitos anos, foi a praça de Táxis.

(Bilhete postal da edição Lifer-Porto)

domingo, 7 de dezembro de 2008

Calendários - Águas de Vidago

Da minha colecção, actualmente, fazem parte estes três calendários.


Não sei, ao certo, qual o ano deste calendário mas pela imagem deve ser da década de 40. No espaço em branco era onde estariam as folhas dos meses do ano.

1955, ainda não era nascido!

Este calendário de 1962 é composto por 6 folhas. Cada folha tem um tipo de traje tradicional feminino, nesta podemos ver o traje tradicional da Ilha da Madeira.

(Estes três calendários foram adquiridos na Livraria Chaminé da Mota - Porto)

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Praia de Vidago














Quem te viu e quem te vê! Que saudades das tardes bem passadas à sombra dos amieiros e dos banhos no rio Tâmega!


Este postal, de 1951, era uma edição do bazar das termas e foram produzidos 1.000 exemplares. Que lindo recanto...


Neste estamos na década de 70 e tudo continua verdejante e limpo...
Hoje tudo mudou, já não há barquinhos, banhos, pique niques e nem o café/restaurante da Praia de Vidago.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Grande Hotel de Vidago

O Grande Hotel de Vidago foi o primeiro hotel de Vidago. Este hotel começou por ter 24 quartos de 1ª classe e 30 de 2ª classe. Em 1892 as diárias variavam entre os 1$800 e os 2$500 réis, por pessoa, para os quartos de 1ª classe. Para os de 2ª classe os preços eram de 1$200, 1$300 e 1$500 réis por dia, incluindo, como os de 1ª classe, comida e todo o serviço.

Este hotel e seus anexos estavam abertos ao público desde 1 de Junho a 30 de Setembro e no seu início já empregava mais de 40 pessoas de ambos os sexos.

Aqui em baixo ficam alguns postais da minha colecção sobre este hotel.
Este postal data de 23/6/1902 e é um dos postais mais antigos da minha colecção. No verso o selo tem o valor de 10 réis.

Este postal é de 1909 e representa o parque do Grande Hotel. Este espaço servia para a prática de jogos tradicionais e, claro, para descansarem à sombra. O preço do selo para Portugal e Espanha era de 10 réis e para o estrangeiro de 20 réis.

Postal da edição de Germano Augusto Costa & Filhos, escrito em 21/08/1936.


A pequena casinha que se vê em frente ao hotel era um posto de abastecimento de combustível Vacuum e de oleos Mobiloil. O carimbo dos correios de Lisboa tem a data de 24/9/1942.

Este não é um postal mas sim um cartão de boas festas. Pode-se ler "Ambrosina Fraga e filhos, cumprimentam V. Exª., desejando-lhe boas festas e ano novo muito próspero e feliz", estávamos no ano de 1945. Adquirido, em 2008, ao Toni de Braga.

Actualmente, este hotel encontra-se fechado e pelo que sei já não pertence à empresa Unicer.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Cartaz - Águas de Vidago


Para os apreciadores de publicidade, aqui vai um belo cartaz da década de 50! E que linda garrafa...
(contra-capa da revista Panorama
nº 3/III série - 1956)

Jornal "O Século" - 2 de Julho de 1897












A edição de Domingo, 2 de Julho de 1897 do jornal "O Século" tinha como primeira página um artigo sobre as termas de Vidago.

Este artigo para além de algumas fotografias, fa
la-nos da povoação de Vidago, dos meios de comunicação, das águas, das nascentes, do estabelecimento hidroterapêutico, da ponte do Tâmega e outros passeios, e da fonte Campilho.
Em 1897, O Século era o jornal de maior circulação em Portugal, custava, avulso, 10 réis e a assinatura, por um ano, 3$000 réis. O seu director era o Sr. J. J. da Silva Graça e a redacção ficava na Rua Formosa, 43 - Lisboa, com o número de telefone nº 242.
(Este jornal foi adquirido, em 2008, em http://www.antiquabook.pt.vu/)

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Vidago 1893

















Em Março de 1893, o médico-cirurgião Alfredo Luiz Lopes, escreveu este livro de 83 páginas, intitulado "As Águas Minerais de Vidago em Portugal". O mesmo foi impresso pela Tipografia da Academia Real das Ciências.


Este livro está dividido em duas partes, a primeira, unicamente, descritiva. Fala-nos da localidade e dos estabelecimentos hidroterapêuticos de Vidago, do seu clima e altitude, do itinerário para a viagem, e finalmente da discrição das nascentes e suas águas. A segunda parte é dedicada ao estudo da acção fisiológica e terapêutica, das indicações médicas e do tratamento pelas águas de Vidago.Conforme a discrição do autor, Vidago era uma povoação da freguesia de Arcossó, concelho e comarca de Chaves, distrito de Vila Real e arcebispado de Braga. Esta povoação era atravessada pela estrada real nº 5 (actualmente estrada nacional nº2) e continha 160 fogos. A sua altitude é de 330 a 336 metros acima do nível do mar.

Na época a "Empreza das águas e hotéis de Vidago" era representada pelo seu sócio-gerente o Sr. Francisco Justino Marques Nogueira. Esta empresa explorava as quatro nascentes: Vidago e Oura, situadas a sueste da povoação, Vila Verde, em direcção oposta, e Sabroso, para sul. A nascente Vidago, era mais rica e melhor aproveitada, chegando a engarrafar 500.000 garrafas por ano. Este engarrafamento era executado desde o nascer do sol até à meia noite por turnos de quatro mulheres e de três homens.

Na página esquerda desta imagem, ficamos a saber quais eram os Depósitos das Águas de Vidago: Lisboa, Porto, Aveiro, Braga, etc. A sua venda era feita em todas as "pharmacias do reino". A página direita ilustra as medalhas e prémios conquistados pelas Águas de Vidago: Premiada nas Exposições de Viena, Filadélfia, Madrid e Paris em 1878, Rio de Janeiro, Lisboa (medalha de ouro), Bordéus (diploma de honra e medalha de ouro), Paris 1889, única concedida a Portugal.

(Este livro foi adquirido, em 2008, em http://www.antiquabook.pt.vu/)

domingo, 23 de novembro de 2008

Estância Salus e a Água Salus - Vidago – 1922


Este pequeno livro de 23 páginas, escrito por Artur Fernandes, médico e director clínico da estância hidrológica Salus-Vidago, foi impresso nas Oficinas de "O Comércio do Porto" em 1922.
Este médico começa por descrever o antigo hotel Salus-Hotel como um dos melhores hotéis do seu género e uma das principais estâncias de Portugal. Era o único hotel em Vidago com abundante e finíssima água potável.



Em baixo, temos um quadro comparativo entre a água Salus e as suas congéneres de Vichy. Pela sua composição química, determinada pela análise feita em 1921, podemos deduzir que a água Salus tem uma mineralização e constituição idêntica às suas congéneres de Vichy, mas de alcalinidade e mineralização total e superior a estas.


E por fim, ficamos a saber que esta empresa, Companhia Portuguesa das Águas - Salus-Vidago, tinha sede em Lisboa na Rua de S. Julião (edifício do Banco do Minho), 168, telefone 2688, e com depósitos em: Lisboa -Rua Correeiros, 67/69, Porto - Av. Rodrigues de Freitas, 180 e Ermesinde - Av. Rodrigues de Freitas. 
O seu depósito geral em Lisboa era a Pharmacia e Drogaria Peninsular, rua Augusta, 39 a 45.

(Este livro foi adquirido no ano de 2008, ao Toni de Braga)

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Vidago 1930


Estávamos no ano de 1930 quando a gráfica "Empreza Bolhão-Porto" produziu este pequeno guia turístico sobre "Vidago - Estância de Cura e Repouso". Um guia muito completo para a época. A capa, como poderão ver, é muito bonita.

E como se trata de um guia, não poderia faltar um mapa de Portugal com as estradas do país!



(Este guia foi adquirido, em 2007, na Livraria Chaminé da Mota - Porto)

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Inauguração

Hoje, decidi criar o meu Blog...finalmente!
Neste espaço vou mostrar-vos algum material que faz parte da minha colecção sobre esta vila. Até breve...